Revista

RSS
Busca:

Testes & Comparativos

01-08-00Voltar

Renault Kangoo RN 1.6

Familiar, eficiente e divertido






















A Renault vem demonstrando excelente visão comercial
ao escolher os modelos que coloca no mercado brasileiro.
Depois da minivan Mégane Scénic, um belo exemplo de
racionalidade na distribuição espacial, motorização
competente e design limpo e agradável, a marca francesa
apresentou ao mercado nacional, em janeiro deste ano,
o Kangoo, um utilitário urbano com características de
carro de passeio.


Fabricado em Córdoba, Argentina, esse versátil modelo
incorpora personalidade de utilitário, para transporte
de pequenas cargas, e o conceito de segundo carro da
família. Exagerando um pouco, enquadra-se como uma station
wagon (muito espaço para as compras, para as crianças
e para viajar) travestida de utilitário. Atende as necessidades
familiares e as de um pequeno negócio. É muito bem acabado
interiormente, com bom gosto e atenção nos detalhes.















































KANGOO
RN 1.6


Suas principais qualidades são o amplo espaço interno, os
práticos locais para acomodar pequenos objetos (como o "mezzanino"
acima dos passageiros da frente), a excelente visibilidade
(visão periférica de 293o, segundo a fábrica), a dirigibilidade
e a competência do motor 1.6, com 76 cv de potência e 13,5
kgfm de torque, da versão avaliada, RN 1.6, top de linha.


Com 600 litros de capacidade, o volume porta-malas é superior
ao de muitas station wagon e vans comercializadas no Brasil,
mais do que suficiente para a bagagem de uma família ou até
500 kg de peso. Com bancos rebatidos, é capaz de acomodar
até 2.600 litros, ou seja, muitas caixas de hortaliças, ou
sacos de laranjas, ou três ou quatro máquinas de lavar roupas,
ou centenas de pacotes de fraldas descartáveis, ou...


 






Menor do que sua concorrente Partner,
da também francesa Peugeot, passa a impressão de ser maior.
Acontece que o desenho do capô, que parece mergulhar, realça
a altura do teto e a capacidade volumétrica. Entretanto, esta
característica sui generis contrasta com os parcos 145 mm que
separam o assoalho do solo. Considerando a altura, sua estalidade
é boa. Desagradável é a maneira rápida, até violenta, com que
as rodas voltam à posição normal,







depois de uma curva fechada ou esquina da cidade.

Quanto aos dados de desempenho fornecidos pela fábrica, bem,
são apenas dados de desempenho fornecidos pela fábrica. 135
km/h de velocidade máxima, 12,72 km/l de consumo urbano e
13,86 km/l de consumo na estrada, vazio e sem ar-condicionado.


Bem, bem. Veículos de carga não rodam vazios e veículos familiares
costumam levar a família.









Portanto, na prática do dia-a-dia, é de se prever um consumo
cerca de 30% a 35% maior do que os anunciados pela fábrica.


Quanto à velocidade final, quem se importa com ela na cidade?
Na estrada, um ritmo de cruzeiro de 100 km/h a 120 km/h é
mais do que adequado para um veículo com as características
do Kangoo RN 1.6.








 








 

Texto de Antonio
Geremias


e fotos de Marcos da Silva





























Passe o mouse sobre as fotos ou na barra de navegação
e saiba mais sobre o carro testado





























É proibida a reprodução de qualquer matérial publicado pela WebMotors S.A. entendendo-se por reprodução todas as formas possíveis de cópia e distribuição, salvo quando existir prévia autorização por escrito dos responsaveis da WebMotors.

©1995-2014 WebMotors S.A. Todos os direitos reservados.