Testes e Comparativos

10-05-13 | Texto: Rodrigo Samy | Foto: Mario VillaescusaVoltar

Avaliação do HB20X

O hatch na versão aventureira é um bom desbravador da terra batida, mas será que vale pagar quase 5 mil a mais por isso?

Compartilhar0
A coqueluche coreana do mercado nacional ganhou a sua versão pseudo-aventureira, denominada de Hyundai HB20X, em janeiro de 2013. A primeira prévia do carro foi apresentada durante o Salão do Automóvel de São Paulo de 2012. Os principais diferenciais do HB20X para o HB20 normal estão a altura elevada em relação ao solo (20,5 cm), as rodas de 15 polegadas calçadas por pneus 195/65, rack no teto, para-choque de cor diferente da lata e grade dianteira que nos induz a lembrar dos grandalhões coreanos, comercializados pelo outro braço da Hyundai por aqui (leia-se Caoa que vende o iX35 e o Veracruz).
 
Para essa avaliação o WebMotors fez duas analises com o HB20X, na primeira delas vamos “falar” sobre a desenvoltura do hatch em um circuito de terra programado entre os municípios de Itapeva e Vinhedo, no interior de São Paulo. Aliás, o caminho é uma saída para você furar o segundo pedágio, de R$ 7,30, da Bandeirantes (sentido interior). O problema é que a saída acaba também lhe deixando na rodovia Anhanguera, próximo de outro pedágio, em Valinhos. Ou seja, o corte só serve para quem vai às cidades da “estradinha”. A segunda parte da nossa avaliação envolve a desenvoltura do carro no asfalto, na cidade e na estrada.
 
Disponível, apenas, na opção equipada com motor flexível de 1,6L de 128 cv, o aventureiro pode ser encomendado com a transmissão automática ou na manual. Na opção do WebMotors o HB20X estava presente no “corpo” do Premium com transmissão automática.
 
 
Primeira parte – HB20X enfrenta a terra:
Por estar em uma posição elevada, o Hyundai oferece uma boa visibilidade quando o assunto é terreno irregular. O campo de visão fica bem favorecido, uma vez que fugir ou atacar buracos passa a ser fundamental no caso do modelo. Se comparado com o HB20 “natural” o “X” oferece amortecedores mais rígidos. Nos trechos de “costela de vaca” (trepidações constantes) em curvas, o HB20 teve jogo de cintura, ameaçou escapar da trajetória, mas sem grandes escorregões. Nesta situação o pneu de uso misto favoreceu um bocado a aderência do carro na terra. Ao ingressar em um terreno terraplanado, o compacto se revelou. Atuou como um carrinho de rali, divertido e aguerrido para levantar bastante poeira com seu torque de 16 kgfm. No vídeo dá para reparar neste ponto positivo.
 
 
Segunda parte – HB20X enfrenta o asfalto:
Como a fábrica da Hyundai fica em Piracicaba, a 150 km de São Paulo. Fizemos duas medições de estrada, método tanque a tanque, com o HB20X automático. Na primeira média marcamos 7,8 km/l de etanol e na segunda 7,6 km/l. Na cidade a média ficou em 6,5 km/l. Durante o percurso rodoviário, o carro se demonstrou bem disposto e colado no “chão”. Mais estável que o Renault Sandero Stepway e menos que o CrossFox, o “X” não sofreu para encarar, por exemplo, as curvas da serra de Campos de Jordão, em São Paulo, quando fomos ao lançamento. Desta vez a regra não fugiu e o carro se confirmou como um bom conhecedor da “física”. A precisão no asfalto só não foi melhor pelo fato de o automóvel estar equipado com pneus de uso misto. Outro pecado é a altura elevada do banco do motorista. Para uma pessoa de 1,80m, fica um pouco cansativo encarar mais de uma hora de estrada na posição oferecida.
 
 
Nos trechos urbanos o HB20X veste como uma luva. Fácil para enfrentar os obstáculos e ágil para avançar ou acessar as faixas de rolagem. Só a transmissão automática de quatro velocidades que poderia ser mais aguçada. Faltou aquela explosão.
 
Consumo oficial:
Apesar de usar o mesmo motor do HB20, a marca coreana fez questão de destacar que o modelo aventureiro recebeu nota “B” no Programa Brasileiro de Etiquetagem. Segundo o selo o HB20X consome 11,3 km/l de gasolina na cidade e 12,5 km/l na estrada. Com álcool, o hatch que pode atingir autonomia de 565 km, faz 7,9 km/l no circuito urbano e 8,8 km/l na rodovia. Se comparado com o HB20, o HB20X com câmbio manual é 72 kg mais pesado.
 
Mas ao contrário do que é vendido, o Hyundai não enfrenta facões (vincos no terreno superior ao seu vão livre) e oferece um baixo ângulo de entrada. Por isso, não espere grandes superações com ele. O HB20X é um carro ideal para fazer trechos curtos de terra. 
 
 

Para essa avaliação nos abusamos do HB20X, tanto é que produzimos um vídeo e andamos mais de 1.000 km com o carro. Abaixo, você pode acompanhar como foi o dia de produção do Hyundai metido à aventura.

 

Opinião do repórter - Com o preço sugerido da versão Premium (R$ 54.455), você consegue praticamente comprar um hatch médio. Vale lembrar que o HB20X pertence ao segmento de entrada da Hyundai. Por isso, vale colocar na balança qual é a sua necessidade de ter um carro mais alto e com apetrechos indutivos a prática de off-road. A diferença de valor para o HB20 Premium automático chega a R$ 4.660 para menos. 

in Compartilhar 0

Tabela WebMotors

Avalie grátis seu veículo pela tabela Tabela Fipe e Tabela WebMotors

É proibida a reprodução de qualquer matérial publicado pela WebMotors S.A. entendendo-se por reprodução todas as formas possíveis de cópia e distribuição, salvo quando existir prévia autorização por escrito dos responsaveis da WebMotors.