Revista

RSS
Busca:

Direção Sustentável

25-07-01Voltar

Frenagem de emergência

Você sabe como agir na hora do susto?

(25-07-2001) - Uma das grandes preocupações do motorista é maneira correta para frear o carro em uma situação de emergência. Imagine só: o carro está em alta velocidade na estrada ou em grandes marginais e é preciso pará-lo para que não aconteça uma batida, um acidente, um atropelamento. O que se deve fazer na hora? O correto é pressionar ou não o pedal da embreagem?
O motorista precisa dar uma pancada forte no freio e, simultaneamente, apertar a embreagem. Para se ter idéia, essa pancada deve ser equivalente a 25 kg. Nada de tocar levemente o pedal de freio. Ao contrário, a freada deve ser "agressiva".

Assim, o carro freia mais rápido, de maneira eficiente e evita acidentes mais graves. Por esse motivo, aquela história de que se deve ficar longe do pedal da embreagem não é verdadeira. Abra o olho!

O ABS (anti-lock brakes) impede que as rodas travem durante a frenagem e, assim, o motorista consegue manter o controle enquanto o carro freia. O sistema ABS percebe eletronicamente a iminência do travamento das rodas e evita que isso aconteça. Nos carros sem ABS, a história é outra. Durante a frenagem, se o veículo estiver em linha reta, o motorista acaba virando passageiro do seu próprio carro: não há mais o controle da trajetória e o automóvel vai para onde quer. Em curvas, o veículo também escapa da trajetória correta e acaba saindo da pista.
Ao pressionar o pedal de um carro com ABS, o motorista percebe que o mesmo trepida. Esse é um sintoma de que uma das rodas está quase travando e o ABS está trabalhando a todo o vapor para evitar o pior.
O ABS não serve para frear em um espaço menor, mas sim para evitar o travamento das rodas e permitir que o motorista continue com o carro sob controle durante a frenagem.

Existem cursos que explicam como deve ser o comportamento do motorista se o automóvel não contar com ABS. Parece um simples detalhe, mas não é.

Depois de frear de maneira forte (situação de emergência), os pneus de um carro sem ABS ficam imprestáveis e não agüentam rodar por muito mais tempo. No carro com ABS, o jogo de pneus não sofre tanto com o impacto e permanece praticamente intacto.

Consultoria: Cesar Augusto Urnhani,
piloto de testes da Pirelli

É proibida a reprodução de qualquer matérial publicado pela WebMotors S.A. entendendo-se por reprodução todas as formas possíveis de cópia e distribuição, salvo quando existir prévia autorização por escrito dos responsaveis da WebMotors.

©1995-2014 WebMotors S.A. Todos os direitos reservados.