Revista

RSS
Busca:

Motos

12-01-07 | Texto: Aldo Tizzani/INFOMOTO | Foto: Arthur Caldeira/INFOMOTOVoltar

Yamaha XTZ 125 K

A XTZ 125 2007 ganhou novos grafismos e pintura do chassi, mas não deixou de lado a facilidade de condução e a economia de combustível

(12-01-2007) - A Yamaha XTZ 125 é, simplesmente, uma pequena notável. Notável pela sua facilidade de pilotagem, exemplar por sua economia de combustível – cerca de 250 quilômetros com um tanque de gasolina –, além de ser polivalente para enfrentar qualquer tipo de obstáculo, seja nas ruas esburacadas dos centros urbanos ou em passeios off-road.

A Xtzinha foi concebida para ser uma moto versátil para usar no dia-a-dia e que oferece um excelente custo/benefício – R$ 6.867,00 (versão K), contra R$ 7.081,00, da Honda NXR Bros 150 versão KS, ambas com partida a pedal. A XTZ 125 K ainda vem equipada com freio a disco na dianteira, item não disponível na Bros 150 KS.

Outra diferença é que o modelo da Honda tem pneu dianteiro de aro 18 polegadas, indicado somente para o uso urbano. Já a XTZ 125 conta com roda aro 21 polegadas, que pode receber pneus de cravos para muitas aventuras nas trilhas.

No ano passado foram vendidas 23 mil unidades das duas versões disponíveis no mercado (K – partida a pedal – e E – partida elétrica). O modelo 2007 recebeu novos grafismos e, agora, o quadro e as alças do garupa são pintadas em preto.

Lançada em grande estilo em 2003, o projeto brasileiro foi supervisionado pelo engenheiro japonês Shigeru Osemachi, considerado o “pai” das Yamaha YZ, WR e TT-R, modelos off-road de alta performance. O grande diferencial é que a moto on/off-road usa o sistema Active Monocross, que utiliza um amortecedor a mola e óleo, pressurizado a gás, e é fixado diretamente na balança, dispensando links.

De visual moderno, o que chama a atenção é seu corpo “slim”, no melhor estilo das motos de competição da marca. Destaque para o banco longo que avança sobre o tanque de combustível, muito útil para a pilotagem off-road. No painel de fácil visualização, informações básicas: velocímetro, hodômetro total e parcial, luzes indicadoras do neutro, piscas e farol alto. No manete esquerdo há também um lampejador de farol alto.

Outro diferencial é que as duas versões da XT 125 (K e E) estão equipadas com freio a disco na dianteira, item que deveria ser obrigatório em toda motocicleta fabricada no Brasil, independentemente de sua cilindrada e potência. Aliás, o conjunto de freios é bastante eficiente se levarmos em consideração seu peso e desempenho. O dianteiro é ventilado com 220 mm de diâmetro e pinça com dois pistões flutuantes. Se o traseiro, a tambor, estiver bem regulado, será um bom companheiro no controle da pilotagem, principalmente nas estradas de terra.

Motor e suspensão

O motor desta pequena notável é quatro tempos, monocilíndrico, OHC (comando simples no cabeçote). Leve, compacto e de simples manutenção, o propulsor de 124 cm³ gera potência máxima de 12,5 cv a 7.500 rpm e torque máximo de 1,19 kgm a 6.500 rpm. Traduzindo, no trânsito urbano o versátil modelo tem bom torque. Ágil e fácil de pilotar, a XTZ 125 oferecer boas retomadas, claro que guardadas as devidas proporções.

Na estrada, a velocidade de cruzeiro é baixa, cerca de 80 Km/h, porém o motociclista que viaja com este modelo não terá pressa de chegar ao seu destino. O importante, no fim das contas, é completar o percurso. Para a prática do off-road, o piloto iniciante trocará apenas os pneus e a relação (coroa e pinhão). Em razão do baixo centro de gravidade e do pouco peso - 103 quilos -, a XTZ 125 é bastante divertida de pilotar.

Para agüentar os trancos e solavancos do dia-a-dia, tanto na cidade como na terra, o conjunto de suspensão resiste bravamente às imperfeições do piso. Na dianteira, o tradicional garfo telescópico, com mola e óleo. Já na traseira, braço oscilante em aço e o exclusivo sistema Active Monocross. Ambos os sistemas têm 180 mm de curso.

FICHA TÉCNICA – Yamaha XTZ 125 K

MOTOR Quatro tempos, monocilíndrico, OHC, refrigeração a ar, duas válvulas, 124 cm³
POTÊNCIA12,5 cv a 7.500 rpm
TORQUE1,19 kgm a 6.500 rpm
ALIMENTAÇÃO Carburador VM 20
CÂMBIO Cinco velocidades
TRANSMISSÃO Corrente
PARTIDA Pedal
RODAS Dianteira de aro 21”; traseira de aro 18”
PNEUS Dianteiro 80/90 - 21 48T; traseiro 110/80 - 18 58T
CHASSI Quadro Diamond, com comprimento de 2,09 m; largura de 0,81 m; altura de 1,13 m; entreeixos de 1,34 m; distância do solo de 0,27 m; altura do assento de 0,84 m; peso a seco de 103 kg
TANQUE10,6 l (1 litro de reserva)
SUSPENSÃO Dianteira com garfo telescópico, com 180 mm de curso; traseira com braço oscilante, monocross, com 180 mm de curso
FREIOSDianteiro com disco de 220 mm de diâmetro, com acionamento hidráulico; traseiro com tambor de 130 mm de diâmetro interno
CORES Preta, azul e vermelha
PREÇO R$ 6.867


Gosta de motos trail?

Então veja aqui no WebMotors a enorme ofertas de modelos para este segmento:

Yamaha DT 180 Z Trail

Yamaha DT 200

Yamaha DT 200 R

Yamaha XT 225

Yamaha XT 600 E

Honda NX 150

Honda NX 200

Honda NX 350 Sahara Honda NXR 125 BROS ES

Honda NXR 125 BROS KS

Honda XLX 250 R

Honda XLX 350 R

Honda XR 200 R

Honda XR 250 Tornado

Suzuki DR

Leia também:

Suzuki Burgman 400

Suzuki Intruder 125

Férias de moto

As motos do futuro

Yamaha MT-01

_______________________________

Receba as notícias mais quentes e boletins de manutenção de seu carro. Clique aqui e cadastre-se na Agenda do Carro!

_______________________________
E-mail: Comente esta matéria

Envie essa matéria para um(a) amigo(a)

É proibida a reprodução de qualquer matérial publicado pela WebMotors S.A. entendendo-se por reprodução todas as formas possíveis de cópia e distribuição, salvo quando existir prévia autorização por escrito dos responsaveis da WebMotors.

©1995-2014 WebMotors S.A. Todos os direitos reservados.