Revista

RSS
Busca:

Lançamentos

30-04-09 | Texto: Rodrigo Samy | Foto: Mario VillaescusaVoltar

Rodamos com a Nissan Frontier LE em todos os terrenos

Com pneus para o asfalto e motor turbodiesel silencioso, a utilitária é melhor na cidade que no campo

(30-03-09) - O WebMotors rodou durante uma semana com a picape média Nissan Frontier em sua versão topo de linha, a LE. Equipada com motor 2,5 litros de 16 válvulas, turbodiesel, a utilitária oferece 172 cv de potência máxima a 4.000 rpm e 403 Nm de torque a 2.000 rpm. Um dos pontos cruciais do modelo é que ela foi construída para atender ao consumidor urbano. Na terra ela se saiu bem, porém necessitou de alguns macetes para ser domada (veja dá para enfiar o pé na lama?).

A vocação à cidade ficou mais clara quando o diretor de marketing da Nissan do Brasil, Arison Souza, colocou que: “A Frontier é uma picape que pode ser utilizada no dia-a-dia como um carro de passeio, para o trabalho ou para a diversão da família em pleno asfalto, e, ao mesmo tempo, está pronta para enfrentar as dificuldades de uma boa trilha”. Será que isso foi comprovado?

Durante o dia-a-dia a picape se demonstrou ágil e, principalmente, fácil de ser conduzida. A Frontier está longe de ser aquelas picapes barulhentas, com volante pesado e embreagem firme. A direção (13,2 m de diâmetro de giro) é hidráulica movida por pinhão e cremalheira, o câmbio é automático de 5 velocidades e a suspensão é composta por braços triangulares e barra estabilizadora na dianteira. Na parte traseira ela é conta com feixes de mola. O baixo ruído e o conforto são favorecidos pelos pneus 255/70 R16 com banda esportiva.

O motor da versão testada é o de maior potência. Existe um de 2,5 litros com 144 cv de potência. Segundo a Nissan, a diferença de potência e torque é consequência da calibração diferenciada do sistema de gerenciamento do motor, e da pressão maior do turbocompressor, que na versão LE possui ainda um sistema de refrigeração suplementar com óleo e água.

Com 2.025 kg (relação peso/potência 11,7 kg/cv), a Nissan pode levar até uma tonelada em uma caçamba com 0,45 m de altura, 1,51 m de comprimento e 1,49 m de largura. A capacidade do compartimento de carga (1.000 l) não é enorme, mas chega a ser o suficiente. Principalmente se for colocado em questão o espaço para os ocupantes do banco traseiro. Com 5,23 m de comprimento, 1,85 m de largura e 1,78 m de altura, a Frontier tem uma das maiores distância de entreeixos (3,20 m) da categoria. Segundo a fabricante japonesa, o comprimento interno da cabine é de 2,09 m, enquanto a altura fica em 1.225 mm e a largura, em 1.480 mm.

Na estrada a Nissan oferece estabilidade nas curvas, apesar de o adesivo no pára-sol indicando que o utilitário não oferece segurança em manobras bruscas. Durante o percurso notou-se que a carroceria pouco se inclinou para os lados em trajetos sinuosos. Aquela impressão de movimento de pêndulo não fica tão evidente. Mesmo com o adesivo do pára-sol, encontrado normalmente nos utilitários esportivos, a Frontier nesta versão tem duplo airbag frontal e sistema de freios com os dispositivos eletrônicos ABS (Anti-lock Braking System) nas quatro rodas e EBD (Electronic Brake force Distribution). No eixo traseiro os freios são compostos por tambores auto ajustáveis, já na dianteira há discos ventilados.

Ao volante

Para encontrar uma posição ideal de dirigir não há ‘drama’. A Frontier tem regulagem de altura do banco do motorista, espelhos retrovisores elétricos e ajuste de altura do volante. Falta apenas neste item uma regulagem da profundidade. A visibilidade é favorecida com os espelhos retrovisores de bom tamanho, o único ponto negativo é a sua altura, próxima a cabeça dos motociclistas. Com isso, foi necessária uma atenção dobrada ao fluxo nos corredores.

O volante de três raios, revestido em couro, foi desenhado para o encaixe das mãos. Os comandos de controlador de velocidade ficam próximos à palma direita. O grande trunfo da Nissan está na arrancada progressiva ocasionada pelo motor em conjunto com o câmbio automático de 5 velocidades.

O espaço para as pernas no banco traseiro é suficiente para pessoas com uma estatura média de 1,80 m. Joelhos não se encostam ao banco, nem a cabeça fica perto do teto.

O modelo testado pelo WebMotors estava com o pacote Luxury. Os itens deste pacote são: acabamento dos bancos em couro, faróis com lâmpada de xenônio, disqueteira com leitor de MP3 para seis discos, sistema de amarração de carga e retrovisor interno eletrocrômico com bússola digital integrada. O valor sugerido de R$ 4 mil é justo para os itens oferecidos. A Nissan Frontier LE com câmbio automático custa R$ 111.390 mil.

Dá para enfiar o pé na lama?

Sim! Mas, antes de você pensar em fazer isso troque os pneus que são excelentes para o asfalto e péssimos para a terra, opte por modelos com cravos. Durante os testes elaborados pelo WebMotors a Nissan se saiu muito bem, até o momento que o repórter falhou. Sem utilizar o principio básico da técnica do off-road, de descer para analisar o terreno antes de superar o obstáculo, a picape média caiu em uma ‘viga’ e ficou com as quatro rodas livres. A sustentação do modelo ficou por conta do obstáculo.

Só conseguimos retirar a utilitária do barranco com ajuda de ferramentas para capinar. Uma enxada, uma pá e um machadinho retiraram toda terra que estava embaixo do carro e o devolveu a sustentação natural. A capacidade de subida de rampa da Frontier é de 39° e a altura livre do solo é de 220 mm. Já o ângulo de entrada é de 32° e o de saída, de 24°.

As versões 4x4 da Frontier contam com sistema 4WD Part Time, que pode ser acionado pelo condutor por meio de um botão rotativo no painel central. Mas quando saímos do enrosco, a tração e a reduzida não desconectavam com um simples giro no botão. Com a tração ligada junto à reduzida ficou impossível desenvolver velocidade acima de 90 km/h. Quando se retira o pé da tábua, nessa situação, o retrocesso é muito forte, logo, fica extremamente perigoso rodar no asfalto assim. Antes de continuar o teste, o WebMotors pediu uma solução para o fabricante. E a resposta foi: quando a tração é utilizada por muito tempo, é necessário colocar o carro no asfalto, selecionar a tração 4x2 e deslocar levemente em marcha ré por uns 10 m. Na segunda tentativa conseguimos desacoplar a tração.


FICHA TÉCNICA – Nissan Frontier LE 4x4

MOTORQuatro tempos, quatro cilindros em linha, dianteiro, quatro válvulas por cilindro, Turbo Diesel, de 2.488 cm³
POTÊNCIA172 cv a 4.000 rpm
TORQUE403 Nm de 2.000 rpm
CÂMBIOAutomático de cinco velocidades
TRAÇÃO 4x4
DIREÇÃO Hidráulica, por pinhão e cremalheira
RODAS Dianteiras e traseiras em aro 16”, em liga-leve
PNEUS Dianteiros e traseiros 255/70 R17
COMPRIMENTO5,23 m
ALTURA1,78 m
LARGURA1,85 m
ENTREEIXOS3,20 m
CAÇAMBA1.000 l e 1 Ton
PESO (em ordem de marcha)1.230 kg
TANQUE80 l
SUSPENSÃODianteira independente com braços triangulares duplos, mola helicoidal e barra estabilizadora. Traseira por eixo rígido com feixes de mola
FREIOSDianteiros com discos ventilados e traseiros com tambores ajustáveis
CORES Branco Glacial, Preto Premium, Vermelho Flame, Bege Sunset, Verde Army, Cinza Titanium, Prata Ice
PREÇOS R$ 107,39 mil e R$ 111,39 mil com pacote Luxury

Siga a gente no Twitter! Novidades, segredos e muito mais: www.twitter.com/WebMotors

Gosta de picapes médias?

Então veja aqui no WebMotors as melhores ofertas para esse segmento:

Chevrolet Silverado

Mitsubishi L200

Nissan FrontierToyota Hilux

Chevrolet S10

Ford Ranger

Leia também:

Porsche Targa completa renovação do 911

FortuneSport Rt.S e Rt.R, as estrelas de uma nova marca

Maybach Exelero está à venda por € 5 milhões

D&H Falen, demônio escocês de 800 cv

Nissan Tiida SL

Lobini H1

É proibida a reprodução de qualquer matérial publicado pela WebMotors S.A. entendendo-se por reprodução todas as formas possíveis de cópia e distribuição, salvo quando existir prévia autorização por escrito dos responsaveis da WebMotors.

©1995-2014 WebMotors S.A. Todos os direitos reservados.