Revista

RSS
Busca:

Lançamentos

11-09-09 | Texto: Rodrigo Samy | Foto: Mario VillaescusaVoltar

Captiva Ecotec é mais equilibrado que o V6 para o dia-a-dia

Com o modelo topo custando mais de R$ 100 mil, o 2,4-litro por R$ 86,99 mil é uma boa pedida

(11-09-09) - O Chevrolet Captiva comercializou 899 unidades no mês passado. Um número relativamente alto, principalmente se for levado em consideração a categoria em que o modelo atua. Para ter uma idéia, o Honda CR-V, um dos seus concorrentes, vendeu 85 unidades durante o mesmo período.

O modelo do Captiva equipado com motor 2,4-litro foi avaliado pelo WebMotors durante a sua apresentação, no primeiro bimestre deste ano. Se comparado com o Captiva V6, também avaliado pelo WebMotors, o 4-cilindros apresenta um comportamento mais equilibrado. Aquele motorzão V6 de 261 cv, que é bem divertido, fica um pouco incoerente com o tamanho e o peso do carro. É preciso ter cuidado para tocar o modelo.

Para passar esta diferença a limpo, o WebMotors rodou dez dias com a versão Ecotec do Chevrolet Captiva. Por fora os detalhes não cromados da versão de entrada não prejudicaram os assédios. Por onde passou o crossover continuou chamando a atenção.

A dúvida que pairava era sobre como seria o rendimento do Captiva. Afinal, trata-se de um carro que tem um peso em ordem de marcha de 1.678 kg e que usa um propulsor de 171 cv. O resultado é uma relação peso/potência de 9,8 kg/cv e uma boa desenvoltura na cidade. O mesmo não se pôde dizer na estrada, onde as retomadas são mais exigidas para manter o carro na velocidade cruzeiro de 120 km/h. No V6 esses pontos são invertidos, ele come o asfalto das rodovias como ninguém e vira um hipopótamo com turbina na cidade.

Segundo a Chevrolet, o consumo do Ecotec é de 10 km/l na cidade e de 14,9 km/l na estrada pela norma NBR 7024. Com o WebMotors, o Captiva fez 8,6 km/l na cidade e 12,3 km/l na rodovia.

Sem ser tão espartano para um modelo de entrada, o Captiva não oferece bancos em couro nem a regulagem elétrica. Apesar disso, ele tem seis airbags, ABS, controle de estabilidade e de tração também, tudo de série. O ar-condicionado não é digital e conta com botões analógicos. Para os passageiros do banco traseiro há uma regulagem.

Ao volante

Comparar o Captiva com a lendária Blazer seria uma injustiça. Com a Veraneio então, seria mais ainda. A defasagem da evolução dos modelos familiares para o atual é tamanha graças o empenho da filial brasileira. Hoje, o Captiva chega para preencher uma lacuna abandonada pela marca durante um bom tempo. O resgate por aqui teve de ser feito, pois a primeira impressão que se tem, ao sentar no Captiva, é a de estar embarcando em um utilitário genuíno da Chevrolet. Sabe aquela história de que cada marca tem o seu DNA.

O volante não oferece regulagem de profundidade (só de altura) e a posição de condução é degradável. Na verdade, o condutor precisa formar com as cochas e com as canelas, quase, um ângulo de 90 graus. Caso contrário, a visibilidade do motorista fica prejudicada. O empecilho não consegue ser anulado por causa da ausência da regulagem de altura do assento.

Depois que a posição é encontrada, fica mais fácil conduzir o Captiva. O volante de tamanho avantajado exige pouco esforço nas manobras. O câmbio, apesar de quatro velocidades, responde com exatidão, ficando um pouco a desejar na estrada.

O espaço interno é muito bom o rebatimento dos bancos pode ser feito sem grandes esforços. O problema ficou por conta do estepe. Abaixo do forro do porta-malas, dentro de uma caixa de isopor, ele só abriga um pneu de serviço com roda de aço. Isso ocorre por causa do improviso para homologar veículos no Brasil, o estepe é obrigatório. A não ser que o carro tenha ferramentas de reparo, como ocorre com o smart.

Desempenho

A primeira aplicação do motor Ecotec foi no Chevrolet Cobalt, mas a família de motores Ecotec teve sua primeira aplicação em 2000, na versão 2.2 litros, no Saturn L Series. Em 2001, passou a equipar diversos modelos europeus e norte-americanos da General Motors. Ao contrário do que falam por aí, este não é o mesmo propulsor do Vectra. Segundo a Chevrolet, esta versão do utilitário-esportivo acelera de 0 a 100 km/h em 11s3. Nas primeiras unidades o Captiva tinha um limitador de velocidade máxima (150 km/h). Depois de uma infinidade de questionamentos sobre a segurança do carro, a montadora resolveu liberar o limite um pouco mais, 180 km/h.

Não se iluda com o tamanho do SUV da GM. Não ache que ele consegue carregar muita coisa. Nesta versão a sua capacidade de carga é de 433 kg, sendo o volume do porta-malas de 821l (1.586l com os bancos rebatidos). Levando em consideração que o carro tem permissão para levar cinco ocupantes o Chevrolet anda no limite.

Mais silencioso e confortável que o V6, o 2,4-litro também usa suspensão McPherson com independente na traseira. Confira na ficha técnica! O Captiva Ecotec também não é um tanque de guerra. Em terrenos acidentados ele faz bem feio. Seu ângulo de ataque é de 18,2º e o de saída é de 22,7º. Diríamos que o carro é um “off-road urbano”.

A GM considera concorrentes do Captiva os japoneses Honda CRV (R$ 88,41 mil) e Toyota RAV 4 (R$ 122 mil). Os dois modelos têm valores mais elevados, do que o SUV da GM. Porém, com quase o mesmo valor do Chevrolet Captiva dá para você comprar os seguintes modelos: Hyundai Tucson 2.7 (R$ 85 mil), Citroën C4 Grand Picasso (R$ 89,59 mil), Suzuki Grand Vitara (R$ 83 mil), Ford Fusion 2.5 (R$ 84,90 mil), Honda Civic EXS Automático (R$ 83,81 mil) ou Nissan X-Trail 4x4 (R$ 89,79 mil).

FICHA TÉCNICA – Chevrolet Captiva Ecotec

MOTORQuatro tempos, quatro cilindros em linha, transversal, quatro válvulas por cilindro, refrigeração a água, a gasolina, 2.384 cm³
POTÊNCIA171 cv a 6.500 rpm
TORQUE218 Nm a 5.100 rpm
CÂMBIOAutomático de quatro velocidades
TRAÇÃODianteira
DIREÇÃO Por pinhão e cremalheira; hidráulica
RODAS Dianteiras e traseiras em aro 17”,de liga-leve
PNEUS Dianteiros e traseiros 235/60 R17
COMPRIMENTO 4,58 m
ALTURA 1,70 m
LARGURA 1,85 m
ENTREEIXOS 2,71 m
PORTA-MALAS 821 l a 1.586 l (até o teto)
PESO (em ordem de marcha) 1.678 kg
TANQUE72 l
SUSPENSÃO Dianteira independente, tipo McPherson; traseira independentes, com braços articulados
FREIOS Discos ventilados na dianteira e na traseira
CORES Cinza, azul, prata e preto
PREÇOR$ 86,99 mil


Siga a gente no Twitter! Novidades, segredos e muito mais: www.twitter.com/WebMotors

Gosta de utilitários esportivos?

Então veja aqui no WebMotors as melhores ofertas para esse segmento:

Kia Sportage

Hyundai Tucson

Honda CR-V

Toyota RAV4 Land Rover Freelander

Leia também:

Ford Edge chega ao Brasil a partir de R$ 149, 7 mil

TAC Stark terá motor turbodiesel ainda inédito da FPT

Novo Campagnola: jipão da Fiat com cara de Land Rover

Fiat Powertrain fornecerá motores para o TAC Stark

Novo Hyundai Tucson é flagrado nos Estados Unidos

Suzuki Grand Vitara chega ao Brasil por R$ 89,70 mil

É proibida a reprodução de qualquer matérial publicado pela WebMotors S.A. entendendo-se por reprodução todas as formas possíveis de cópia e distribuição, salvo quando existir prévia autorização por escrito dos responsaveis da WebMotors.

©1995-2014 WebMotors S.A. Todos os direitos reservados.